Evangélicas nuas que louvam a Deus mostrando a beleza do corpo, que Ele lhes deu; prostitutas e garotas de programa submissas e dedicadas; e putas, que se tornaram evangélicas e começaram a missionar. Famosas abrindo a xaninha e meninas evangélicas simples de sua vizinhança.
Quem quiser contribuir com fotos de meninas evangélicas nuas mande as para petalapu@gmail.com
Meninas evangélicas, mandem fotos. Rapazes, tirem fotos de namoradas, amigas e prostitutas evangélicas para serem publicadas aqui.

Enquete: Quem é a evangélica mais gostosa do Brasil?


Quem é a evangélica mais gostosa do Brasil?
Escolha sua favorita, marca a caixinha na frente do nome e clica em votar no fim da enquete
Pastora Natália Nara, ex-capa de playboy e BBB
Virou evangélica com 19 anos, venceu o curso Iracema com 20 anos, virou capa da Playboy com 22 anos, trabalha na TV, virou pastora com 27 anos. 

Valéria Valenssa, ex-globoleza e dançarina nua no carneval

Trabalhou mais de 10 anos como globoleza e como rainha no carneval. Virou evangélica nos últimos anos da carreira (na foto em baixo ela já é evangélica) e hoje ela prega em igrejas.
























Carla Perez, ex-dançarina de O Tchan. 4 capas da playboy.

Dançarina famosa virou evangélica no fim da carreira.

























Suzana Alves, a Tiazinha. 1 capa da playboy
Dançarina famosa virou evangélica no fim da carreira e hoje prega em igrejas.



















Meyrielle Abrantes, 1 capa da playboy 2013

A nordestina gostosa casou com o senador pernambucano Jarbas Vasconcelos, que tem 41 anos mais do que ela. Ela é evangélica desde adolescente, e posou para o playboy depois da separação do marido.







Luana Piovani, atriz, nua na revista Trip
 A atriz linda da igreja adventista é evangélica desde adolescente

Pastora Bruna Tavares, Ex-BBB, nua na Paparazzo
Participou do BBB em 2007, Virou evangélica em 2010 e tornou-se pastora

Aline Franzoi, ring-girl com bu...tinha apertadinha, capa playboy 2013      A ring-girl do UFC São Paulo acompanha as lutas e os lutadores desse esporte, é evangélica desde cedo e posou para a Playboy em 2013. Famosa pela perfeição de sua bucetinha adora shortinhos no trabalho que vislumbram as belas formas.



Barbara Evans, atriz. 1 capa da playboy 

A filha de Monique Evans, ao ser convidada para ser a capa da revista Playboy disse que essa proposta foi “plano de Deus” e que "Deus ajudou ao conquistar a vaga".















Kelly Medeiros, modelo, dançarina, BBB, capa de revistas

Já na época do BBB12 confessou a sua fé, e até hoje frequenta a igreja, mas também é dedicada no seu trabalho de modelo.















Mara Maravilha, cantora, 1 ensaio da Playboy

Cantora desde cedo, lançou seu primeiro CD com 14 anos. Já nessa época era muito bonita, e com 22 anos virou capa da Playboy. Trabalhou na TV, sobretudo para crianças. Com 27 anos virou evangélica e canta desde então música gospel, sobretudo para crianças.








Carol Miranda, atriz de pornô, vários vídeos, sobretudo anal
Famosa por seu bumbum conseguiu confessar a sua fé até na indústria de pornô, insistindo em suas primeiras produções em fazer somente anal para manter seu hímen intacto.









Julia Paes, dançarina, modelo e atriz. Ensaiou nua para Sexy Clube   Gravou muitos filmes pornográficos, virou evangélica em 2011, casou e tem um bebê.

Petala Parreira, prostituta novinha e submissa da "Piranhas para Jesus". Ensaios no internet
 
Virou evangélica com 14 anos, participou de coreografia e canta louvor. Foi nessa época que começou a fazer programas para pagar dívidas, que na maioria das vezes nem eram dela, mas de primos que deveram a traficantes. Forçada por cafetões se entregou nas mãos de cafetões, que a promoviam e transformaram em uma prostituta submissa e meiga. Com 16 anos saiu da escola para trabalhar integralmente. Com 18 anos conheceu a ONG "Piranhas para Jesus" dos Estados Unidos e virou adepta dessa missão para ajudar a prostitutas deprimidas, abatidas e desmotivadas.




Ceyla de Wilka, empregada, ex-prostituta, sites no internet

Começou a trabalhar com 14 anos como empregada, foi abusada e forçada para virar prostituta por três anos. Virou evangélica pelo testemunho de uma outra puta e um ano depois voltou a ser empregada doméstica. Relata que virou muito mais submissa e dócil na prostituição depois de virar crente porque aprendeu a amar seus clientes e seu cafetão de verdade, apesar de ser muitas vezes maltratada.



Nanda, prostituta novinha de Aracaju, site no internet
Virou evangélica na infância, começou a se prostituir com 13 anos e foi conquistada por um cafetão que a transformou em uma prostituta submissa. 
Outra opção, se vc pensa em uma outra gostosa



O país está repleta de evangélicas deliciosas. Quer indicar uma? Se quiser escreve o nome dela no comentário, junto com datas como facebook, google e mais, ou manda os dados e fotos para petalap13@gmail.com

Aqui todas as opções juntas, para escolher mais fácil:
Quem é a evangélica mais gostosa do Brasil?
Pastora Natália Nara, ex-capa de playboy e BBB
Valéria Valenssa, ex-globoleza e dançarina nua no carneval
Carla Peres, ex-dançarina de O Tchan. 4 capas da playboy.
Suzana Alves, a Tiazinha. 1 capa da playboy
Meyrielle Abrantes, 1 capa da playboy 2013
Luana Piovani, atriz, nua na revista Trip
Pastora Bruna Tavares, Ex-BBB, nua na Paparazzo
Aline Franzoi, ring-girl com bu...tinha apertadinha, capa playboy 2013
Barbara Evans, atriz. 1 capa da playboy
Kelly Medeiros, modelo, dançarina, BBB, capa de revistas
Mara Maravilha, cantora, 1 ensaio da Playboy
Carol Miranda, atiz de pornô, vários vídeos, sobretudo anal
Julia Paes, dançarina, modelo e atriz. Ensaiou nua para Sexy Clube
Petala Parreira, prostituta novinha e submissa da "Piranhas para Jesus". Ensaios no internet
Ceyla de Wilka, empregada, ex-prostituta, ensaois no internet
Nanda, prostituta novinha de Aracaju, site no internet
Outra opção

Outras enquetes sobre putas gostosas:
Quantos programas uma prostituta boa, adestrada e submissa deve fazer? (Se você fosse cafetão, quantos clientes suas prostitutas teriam que atender por dia?)
5 por dia ( 35 por semana, 150 por mês, 1825 por ano)
10 por dia ( 70 por semana, 300 por mês, 3650 por ano)
20 por dia ( 140 por semana, 600 por mês, 7300por ano)
40 por dia ( 280 por semana, 1200 por mês, 14600 por ano)
60 por dia ( 420 por semana, 1800 por mês, 21900 por ano)


Vc acha melhor, se o governo libera, que prostitutas podem ser escravizadas e punidas, educadas, vendidas e compradas livremente ?
Sim, se elas fossem escravas, teriamos prostitutas muito melhores e poderiamos comprar meninas gostosas
Não, acho que a escravização das putas só pioraria a qualidade do trabalho delas
Acho que não devem escravizar meninas brasileiras, mas deveria ser possível, comprar escravas e putas em outros países
Não sei

80 mil putas e prostitutas evangélicas novinhas da Nigéria trabalham no mundo inteiro

De cantora de louvor até prostituta:Questão de poucos dias
Aliança inédita entre igrejas pentecostais, a máfia nigeriana, a máfia italiana e outras máfias abençoe o mundo com milhares de prostitutas negras novinhas e evangélicas de alta qualidade e boa vontade, dedicadas, baratas e totalmente submissas.
Inocente, novinha e talvez ainda 
virgem. Assim ela é apresentada

O comprador quer apalpar tudo
Nigéria é um país que investe na prostituição, e a capital da prostituição e do tráfico humano é Benin City. Milhares de meninas são recrutadas todos os anos para abastecer os puteiros da cidade e do país e também de muitos outros países do mundo. Até em países tão cheios de putas boas como a Rússia exportam-se meninas nigerianas para diversificar o cardápio.

Os nigerianos costumam preparar as meninas já na Nigéria e lançam mão de métodos desenvolvidos a partir de particularidades do país. As meninas nigerianas acreditam em feitiçarias como voodoo ou juju, que são parecidas com práticas da macumba. Elas ficam trancadas em caixas por alguns dias e são submetidas a práticas mágicas e educadas para obedecerem em tudo aos seus donos. 
Evangélicas submissas da
África: Uma delícia para os
clientes na Europa e Arábia
Elas têm que jurar que obedecerão em tudo à sua “madame”, a cafetina que controla um grupo pequeno de meninas novinhas, e aos homens e cafetões da máfia, donos de puteiros e outros responsáveis.. Depois elas devem deixar uma madeixa de cabelos, umas unhas, uns pelinhos da buceta, cuspe e outras coisas do corpo na caixa, e elas são avisadas que o sacerdote tem o poder de fazê-las sofrerem, adoecerem e até morrerem em qualquer lugar do mundo através das partes do corpo delas, que são guardadas e serviriam para fazer a feitiçaria. Por exemplo, se o sacerdote queima-os, a menina vai ter também um acidente e sofrer queimações ou morrer num incêndio. Depois contam às meninas, que fazem o mesmo com os familiares delas, se elas fogem, cooperam com a polícia ou desobedecem aos seus superiores.

Nos últimos dez anos, porém, surgiu o problema, que a Nigéria é evangelizada fortemente, e os pastores ensinam justamente o contrário, que a feitiçaria não presta, e que Deus não gosta dela e que uma oração a Deus quebra a força da feitiçaria. Muitos pastores exercem também processos para tirar a feitiçaria da vítima. Quando as organizações mafiosas da Nigéria repararam, que o número das meninas evangélicas cresceu mais e mais, tentaram entrar em um concordo com as igrejas. Prometeram que pagariam um taxa ao pastor por cada menina de sua igreja, que vira prostituta para a máfia. Mas só uma minoria dos pastores aceitou a proposta, porque muitos pensam no bem de suas ovelhas e outros acham que mesmo recebendo um dinheiro não compensa muito, porque se perde uma ovelha, que depois não paga mais os dízimos e também não ajuda mais no trabalho nem traz amigos ou parentes para a igreja.

Por isso alguns membros da máfia nigeriana ou parentes deles fazem também cursos rápidos e viram pastores e fundam igrejas próprias, principalmente igrejas pentecostais que prometem de tudo aos crentes e por isso crescem muito rápido. Com músicas legais e trabalho de jovens animado atraem meninas novinhas, na maioria entre 12 e 18 anos. Eles se aproximam às adolescentes e jovens e convencem-nas que não é pecado, mas obra agradável e dever das meninas, virarem prostitutas e pagarem com os dízimos o trabalho dos pastores, contribuindo assim para o reino de Deus na terra. Depois de uma lavagem
Nígéria está cheia de putas evangélicas lindas, submissas e quentes
cerebral as meninas acreditam que até Deus quer que elas sirvam como escravas na prostituição. Tais pastores falsos ajudam também à máfia para fazerem as outras putas ainda mais submissas, sobretudo se elas são cristãs. 
O comprador testa a firmeza de seus buracos
com os dedos ou ferramentas apropriadas e a capacidade de sua língua com seu próprio pau.




Os pastores vêm e oram com uma menina e ensinam-lhe que deve obediência aos superiores, sem questionar, e que Deus pune meninas rebeldes, preguiçosas e insubmissas. Mas prometem, que Deus abençoa as putas e as suas famílias ricamente, se elas obedecem em tudo e fazem programas boas com a devida dedicação e paixão.
Meninas evangélicas novinhas, que ainda não tiveram contato com a prostituição, são às vezes chamadas por um pastor, e este diz para a menina missionar e convencer certo homem, que lhe apresenta. Explica que a menina deve tentar de tudo, só importa o resultado. Sozinho com a menina o homem começa a tocar nela e tirar a roupa dela ou pedir para ela mostrar o amor de uma maneira mais direta. Se a menina se recusar firmemente, em outro encontro o pastor exige dela mais direta, que tenha sexo com o homem. Se ela não obedece é ameaçada e o pastor explica que ela vai trazer prejuízo para si e a sua família. Finalmente a menina tem que ceder e dorme com o homem. O homem se converte e vira membro da igreja, e a menina ganha muito elogio.
Poucas horas depois a menina evangélica já é prostituta para sempre e atende a clientes.

Muitas evangélicas novinhas vivem e atendem no mato
Embora que putas evangélicas sejam quase sempre meigas,
obsequiosas e obedientes, também elas recebem sua surra
hebdomadária, como mostram as marcas no corpo.
Algum tempo depois o pastor fala, que tem outro homem na mesma situação, e ela deve tratá-lo como o primeiro. Se ela se recusa é ameaçada, e no último caso o pastor diz que vai falar com os parentes dela que transou com o outro homem ou publicar fotos do encontro, que eles sempre tiram, muitas vezes sem a menina perceber. Por isso a menina tem que topar, e depois de duas ou três negócios desses ela vira muito mais fácil prostituta, sempre sob o argumento que isso seria para o bem da igreja e da família dela. O pastor entrega a menina pessoalmente a um cafetão e fá-lo jurar obediência, submissão e dedicação.
Mas apesar desses preparos, as prostitutas evangélicas novinhas são muitas vezes também torturadas pela máfia. Os clientes são muitas vezes surpreendidos sobre o número alto de marcas nos corpinhos negros e recentemente púberes das putas evangélicas menores. Mas também putas evangélicas maiores têm ainda o corpo cheio de cicatrizes de queimaduras de cigarros, ferrete em brasas ou furos para anéis, e muitas vezes se ajuntam marcas recentes por correia, cinto, chibata, tapas e murros.
800 mil mulheres e meninas nigerianas trabalham como prostitutas, delas quase a metade no exterior. Mais ou menos 80 até 100 mil delas são evangélicas, e muitas delas eram membros ativas como cantoras de louvor, líderes do trabalho infantil ou na missão.
As meninas aprendem dançar
nas igrejas, para depois saberem
mexer-se com mais
desenvoltura no palco de puteiros.
Nnehika, 15 anos, trabalha numa rua a 50 km da cidade Nápoles, na Itália. Ela fica de minissaia extremamente curta para mostrar as pernas pretas perfeitas. A barriga ela não mostra, porque tem uma cicatriz maior por uma queimadura que sofreu de castigo depois de fugir de um cliente muito nojento, embora que ela tivesse jurado a obedecer aos seus chefes, e eles mandaram para jamais rejeitar um cliente. Para satisfazer o cliente, ele pudera escolher o castigo e se decidiu pelo ferro em brasas. O corpo dela mostra também outras lesões, porque ela tem que cumprir a meta mesmo com a cicatriz na barriga, e recebe de cinto ou chibata, se não tem um desempenho bom.
Nnehika virou evangélica com 10 anos, junta com alguns outros membros de sua família, e se destacou entre as meninas por sua voz tão bonita, que ela foi escolhida de cantar um solo, quando o coral infantil da igreja cantou certa vez em um programa de rádio. Mas ela destacou-se também pela beleza e o pastor da igreja olhou-a com interesse. A igreja foi fundada só dois anos antes, mas teve já 400 membros, e o pastor levou a ela e outras meninas bonitas e com voz boa muitas vezes para cantarem em casas, onde ele fez visitas para curar pessoas doentes e enfeitiçadas. 
Ele é o dono e fundador da igreja, e todos admiram-no. Por isso as meninas não levaram por mal, quando ele as tocava com carinho, até que em certa noite depois de um evento um homem não se quis converter e o pastor o levou para um quarto, junto com as três meninas, que estavam com ele. O pastor falou da beleza da criação ao homem para convencê-lo da grandeza do criador, e como exemplo mostrou às “três florzinhas de Deus” ao seu lado. 
O homem disse, que se converteria certamente, se fossem tão lindas como seus rostos sugeriram, mas que normalmente meninas com rosto bonito tem outros defeitos como dentes tortos, peitinhos flácidos ou bucetinhas feias. O 
pastor refutou os argumentos e como prova mandou às meninas para mostrarem se nuas, o que elas fizeram. O homem disse, que não seria possível tanta perfeição, e que ele certamente descobriria onde tivesse um grande defeito em cada menina. O pastor contradisse, mas permitiu ao homem de investigar as meninas, quando ele disse, que viraria evangélico, se o realmente convencessem. O homem pegou seu celular e tirou algumas fotos para “documentar a minha conversão."
As meninas tiveram que abrir as bocas e mostrar os dentes e a língua, e depois o homem pediu para levantarem os braços e mostrarem o sovaquinho, e quando não achou nada, se admirou mas disse que iria achar ainda e abriu as xaninhas e depois mandou as meninas para se curvarem para frente e mostrarem os cuzinhos. O homem ficou deslumbrado, documentou tudo com 
seu celular, tirando mais de sessenta fotos, e se converteu na hora. O pastor ficou muito feliz, abraçou muito as meninas, agradecendo-lhes, e deu a cada uma de benefício especial um beijo na boca. O neófito queria o mesmo, mas as meninas não queriam, até o pastor disse: “Meninas, ele é seu, vocês o trouxeram para a igreja, é agora seu filho espiritual. Vocês não vão beijar seu filho? Vocês deveriam levá-lo no colo, mas sendo ele muito maior, vamos fazer do contrário, sentem no colo dele.”
Sem receber tempo para se vestirem sentaram no colo do homem, que lhe deu vários carinhos e todos os lugares do corpo. Finalmente o homem disse, que agradecesse muito às meninas lindas e boas, e para se despedir na altura delas queria agradecer segundo uma tradição da tribo dele para momentos especiais assim. Queria chupar cada menina como recompensa pelos favores. O pastor disse, que ser chupada não seria pecado e não faria mau, e assim elas abriram as pernas e foram chupadas. Como prova, que não é pecado, também o pastor chupou as meninas, e tudo foi filmado.
O homem disse, que teria muitos amigos que pensariam como ele, e certamente muitos poderiam virar evangélicos, se tivesse sempre meninas tão maravilhosas. O pastor disse que não teria problemas, as meninas certamente atenderiam a eles com o maior prazer. Nisso uma delas protestou e disse que não queria continuar com esse tipo de trabalho.
A mercadoria é testada
“O pastor disse, que seria proibido contar a ninguém como nós ganham esses homens para a igreja, porque os homens iriam sentir vergonha e provavelmente se vingariam 
Também evangélicas menos bonitas
recebem uma chance se são boas
e submissas e querem ser putas
obsequiosas e dedicadas.
publicando as fotos e vídeos, prejudicando as meninas e a igreja, o que seria um grande pecado. Pela mesma razão também ninguém poderia sair desse ministério secreto, mas muito importante. Disse que nos seriamos muito recompensadas e nos fez jurar para não contar a ninguém e continuar com esse tipo de trabalho. Depois de tivermos alguns encontros com homens desse jeito exigiram para a gente chupar um homem, que não se quis converter de outro jeito. Fomos muito elogiadas, quando conseguimos, e recebemos sorvete e bolo da própria esposa do pastor em uma das casas dele, e ficamos muito orgulhosas, quando até ela elogiou a gente e falou que já seriamos moças. 
Três meses depois tivemos que dormir com homens, e também com o próprio pastor, e pouco depois fomos apresentadas a dois cafetões, que nos compramos, ao que parece, mas o pastor disse que eles seriam homens muitos bons que iriam cuidar de nós e fez nos jurar para sermos obedientes e submissas em tudo, o que eles ou outros futuros chefes exigiriam de nós. Se eles fossem homens bons, não sei o que seriam homens maus, porque logo no primeiro dia recebemos uma surra de cinto e fomos estupradas por um grupo de homens. 
Fizemos três semanas tirocínio, depois fomos separadas e eu trabalhei em um prostíbulo, depois em outro, depois em Lagos, depois de novo em Benin City, e depois me venderam para a Itália. Nem me perguntaram, mas tive que pagar pelo passaporte, que é de uma menina parecida comigo, mas com outro nome e de 19 anos, e tive pagar pelo transporte, o tirocínio e tantas outras coisas, que tenho agora dívidas de $ 40 mil (R$ 80 mil) e não sei quantos anos vou precisar até pagar tudo isso."
Meninas evangélicas:
Artigo de exporte muito
importante da Nigéria

.
Meninas nigerianas são alugadas hoje em dia em muitos países europeus, inclusive a Rússia, e também na África e nos países árabes. Um destaque tem a Itália. Há mais de vinte anos muitos nigerianos moram na Itália como ajudantes baratos na indústria e na agricultura. Muitas vezes os nigerianos tentaram organizar-se para mexer também com áreas que dão mais lucro como o tráfico humano, prostituição e tráfico de drogas, mas todas as vezes foram derrubados em tiroteios com a máfia italiana. Depois de a polícia prender vários líderes italianos, a máfia aceitou finalmente uma cooperação com os nigerianos.
De repente as ruas da Itália se enchem com meninas negras em roupas meio farrapadas e diferentes, que esperam por clientes. Elas cobram pouco e quando elas tiram as roupas no mato ou no carro do cliente ou na casa dele ou num motel, os clientes veem logo, que a pele preta e brilhante das jovens é crivada de hematomas, contusões, cortes, marcas de correia ou cinto e de queimaduras com cigarros. Sinais de um 
sistema de educação, treinamento e punições rígidos estabelecido pelas duas máfias que controlam as meninas em cooperação.
Na Itália trabalham tantas prostitutas nigerianas, que a máfia nem sempre consegue abrigá-las e várias dormem mesmo no mato em abrigos improvisados e muito precários. Os italianos agradecem pela oferta grande de meninas boas e obedientes, que não complicam as coisas, mas fazem simplesmente o que o cliente quer. O exemplo das nigerianas dedicadas influencia também as outras putas, que têm que se adaptar a essa qualidade para não perderem os clientes. Seu Frederico, um italiano de 62 anos de uma vila no norte de Nápoles, conta: “A minha vida toda trabalhei muito, e um dos poucos luxos era que na sexta, ou no sábado, depois do expediente, comprei uma puta. No início estranhei, quando oferecerem todas essas pretas, mas quando eu testei uma pela primeira vez, fiquei impressionado com sua navegabilidade. A gente quer uma coisa, e basta 
um gesto, um movimento, e ela já obedece. Tenho bastante experiência, porque na vida toda cheguei a comer quase duas mil garotas diferentes, e posso garantir, que elas são muito boas. A gente vê muitas vezes as marcas de correia, chibata e coisas piores, sinal que alguém cuida delas, porque as educação e obediência não são inatas, mas precisam ser implantadas numa garota com insistência. Imagino como deve ser difícil educar e civilizar uma dessas pretas meio selvagens de um outro continente. Mas eu sou um homem que não valoriza só a beleza de uma garota, mas valoriza valores como educação e comportamento, e tenho de reconhecer, que hoje em dia elas são mais educadas do que as nossas mulheres e meninas. Aí é que a gente sente às vezes um verdadeiro amor para com elas, se a gente transa. Já conheci putas nigerianas, que são tão meigas, que frequentei três ou mais vezes a mesma puta. Muito bom mesmo. É uma pena, que são tão pretas, mas afinal de contas, não é a culpa delas, né. E a forma dos peitos, da bunda e mais são iguais, então tanto faz.”
Em fábricas de bebês as novinhas
são estupradas até engravidarem
Outra particularidade do tráfico de meninas e mulheres são as fábricas de bebês na Nigéria, onde meninas sequestradas são estupradas e mantidas, até darem à luz um filho, que será vendido para quem quer adotá-lo.



Vejam embaixo os dois filmes documentários: 
Trailer sobre as máfias de Nigéria:
Documentário sobre prostitutas menores traficadas da Nigéria:

Antes de poderem trabalhar as putas novas são estupradas pelos mafiosos, cafetões e amigos deles. É chamado de treinamento e muitas vezes as meninas têm que pagar uma taxa diária ou entre R$ 50 até 200 por estupro. O número de estupros varia entre 15 e 250, e o "custo" de R$  mil até 50 mil é adicionado às outras dívidas da puta resultando da viagem, da compra, roupa, aluguel e mais.
Depois a novata é levada para as colegas.

As meninas nigerianas topam tudo, ganham pouco dinheiro mas muitas surras e outros maus tratos. Também a polícia discrimina-as, às vezes atrapalha na tentativa desesperada de ganhar o dinheiro para pagar as dívidas. 



A polícia muitas vezes não ajuda à meninas, mas chantageia e amolesta-as. Muitos policiais recebem em troco dos cafetões dinheiro ou o direito de transar de graça com as putas.


A polícia prende as putas e coloca-as na prisão. Em muitos países os policiais estupram as putas na prisão e são coniventes, se os presos as abusam. Muitas vezes os próprios policiais deixam as putas à disposição dos presos.

Na Nigeria a pobreza alimenta os sonhos das meninas de uma vida melhor na Europa




Para os cafetões e mafiosos as meninas são só gado ou mercadoria, e assim elas são tratadas. Muitas têm que atender e até de morar no mato. Outras enfeitam as margens das estradas.









Black nigerian sluts are used to drink cum (Putas nigerianas pretas são acostumadas a beber porra).
Muitas meninas sabem, que só têm futuro se são vendidas por organizações criminosas, que, porém, as exploram sem dó.


Nos leilões no sul da Europa as meninas novinhas têm que abrir sua xaninha e seu cuzinho com as próprias mãos.

Nigerian sluts and prostitutes use to have beautiful black cunts with a full red or pink inside.
(Putas e prostitutas nigerianas costumam ter bucetas bonitas, pretas e com uma cor vermelha saturada ou de rosa por dentro.  40% das prostitutas nigerianas são circuncidadas para fazer os lábios menores ou o clitóris mais bonitos ou menores, ou para controlar o líbido das meninas, que não devem, segundo a teoria, transar por vontade, excitação ou safadeza, mas por submissão. Putas circuncidadas sentem muitas vezes dores no sexo, o que muitas vezes excita os clientes ainda mais.)
    

Meninas que vêm de avião ou de trem são muitas vezes logo investigadas e apreçadas no próximo banheiro público ou em uma despensa, e vendidas na hora.
Outras são primeiramente estupradas brutalmente e por muitas horas ou dias para serem "amolecidas". Depois são leiloadas.
Meninas simples de favela e regiões caipiras tem a chance de virarem putas bonitas e gostosas.
Às vezes as meninas atendem ao seu comprador logo no banheiro, antes ou depois do negócio.
Muitas vezes uma moleca medíocre vira com o tempo uma prostituta deliciosa.
Muitos puteiros preferem putas evangélicas pela maior meiguice e submissão. Além disso, elas são bonitas, alegres e obsequiosas.

Uma vez acostumadas ao trabalho as putas evangélicas se dão bem e obedecem em tudo.
Prostitutas evangélicas aguentam mais, são alegres, submissas e não reclamam






Putas evangélicas tem que engolir sempre e mostrar dedicação também em shows de lésbicas

Pele de chocolate e uma alma de chocolate: o ideal que muitos procuram nas evangélicas
Força evangélica na cama e submissão total para com os cafetões, esses são os ideais das putas.





Com 12 ou 13 anos a menina é chamada pelo pastor falso para falar com ele a sós no seu gabinete. Intimidada pelos moveis caros e outro luxo ostentativo a menina é preparada para entregar seu corpo a homens, o primeiro passo para virar prostituta. 
Uma vez passada pela soleira ela pode ser vendida e explorada sem dó.


Uma das igrejas neopentecostais maiores da Nigéria. Aqui se encontram milhares de meninas entre 11 e 18 anos, dedicadas, bonitas e obedientes ao pastor e em geral.
Muitos pastores exploram seus fieis e vivem com aviões particulares e muito outro luxo pecaminoso

David Oyedepo, o pastor mais rico da Nigéria, possui aviãos, casas de luxo, carros de luxo do tipo como os grandes cafetões usam, e muitas outras coisas erradas, igual a muitos outros colegas que viraram milionários desviando o dinheiro dos crentes para se mesmos.
Pastores neopentecostais tem essa fama na Nigéria

Ela incorpora um ideal para muitas meninas evangélicas nigerianas: Maheeda, prostituta nigeriana e cantora de gospel Fonte: http://wadup.com.ng/if-i-have-sex-i-will-sing-about-it-gospel-musician-maheeda/

Com 12 ou 13 anos as meninas são selecionadas para virarem prostitutas
Prostitutas negras discriminadas em todo o mundo
Como putas novinhas da Nigéria e outras regiões da Africa são treinadas, educadas e castigadas pelos seus superiores
Negras recebem muitas
tapas no rosto quando chupam
Já é um choque e uma sofrimento para as negrinhas adolescentes verem se transformadas em prostitutas através de muitos estupros, surras e outras brutalidades. Mas mesmo aceitando seu destino e querendo ser meninas boas e obedientes elas enfrentam muitas dificuldades e sofrimento. A razão é que meninas negras, que viram prostitutas, não têm as mesmas chances como as brancas ou asiáticas na sua profissão, mas são fortemente discriminadas pelos cafetões, clientes e outros responsáveis. E isso é assim em todos os países, embora que os clientes respondem em enquetes, que as negras se dedicam, são muito boas no anal e obedecem melhor. Muitos clientes falam também, que acham-nas bonitas e gostosas.
Muitas putas evangélicas recebem
um anel pela xaninha e pelos mamilos
Com o instrumento em cima foram
furadas mais de 2 mil putas, antes de
a Polícia de Torino o confiscar.
Alguns cafetões usam pregos quentes
Mesmo assim elas ganham nem a metade das putas brancas. Na Europa e nos Estados Unidos as diferenças são menores, uma garota de programa negra ganha quase a metade de uma branca. Já na África uma menina branca ganha 9 vezes mais do que uma negra. No Brasil as prostitutas brancas cobram três vezes mais do que as negras, ou mais exato, uma negra cobra em média só 32% do preço de uma branca, pelo mesmo programa. Em casas finas, onde se cobra mais, se acham muitas brancas, e nas ruas e casas baratas se encontram as negras. Na zona famosa Rua Guaicurus de Belo Horizonte meninas negras novinhas e bonitas se encontram às vezes em casas de putas velhas, que cobram R$ 15, enquanto brancas de boa qualidade, em casas avizinhadas, cobram R$ 50.
Mais de 80 mil putas, prostitutas e escravas são anualmente furadas sem anestesia para receberem aneis grossos de escrava ou gado.
Em contrapartida, para aumentar seus ganhos, elas têm que topar mais. Por isso oferecem quase sempre anal, chupam sem camisa, deixam enfiar com mais força na garganta e não reclamam de tapas na bunda. Também têm que aceitar muito mais clientes para poderem pagar o aluguel do quarto, o cafetão ou a comida de filhos, sobrinhos, irmãos ou o custo de saúde de seus pais ou outros custos, que elas pagam com o que ganham.
Elas têm que começar também mais cedo, enquanto mundialmente prostitutas brancas começam, na média, com 17 anos, as negras começam com 14 anos.




Elas apanham duas ou três vezes mais dos seus cafetões, pais, irmãos ou outros responsáveis, principalmente na própria África. Mas também na Europa (180%), nos Estados Unidos(160%) e na Rússia(230%) e em muitos outros países elas apanham mais. No Brasil não existem enquetes maiores sobre o assunto, mas ao que indicam enquetes em sites sociais e sites sobre prostitutas elas apanham também muito mais e se recomenda que se deva bater em uma puta negra mais forte porque a bunda ou a pele dela aguenta naturalmente mais.
Muitos clientes aproveitam a submissão
das negras e evangélicas
e batem muito nelas e enfiam sem dó.
Prostitutas negras são também três vezes mais açoitadas do que brancas ou asiáticas.
As razões pela quantidade maior de surras são:
1. Elas ganham menos e recebem uma surra, se elas não alcançam o mínimo estipulado pelos cafetões, enquanto as brancas o alcançam mais fácil.
2. Os cafetões e muitas outras pessoas acham que as negras têm uma pele e sobretudo uma bunda menos sensível. Elas seriam mais acostumadas a receberem uma surra e por isso uma surra leva não faria o efeito desejado.
3. Segundo relatos de cafetões e clientes dá mais gosto bater em uma bunda ou xaninha preta.



Respostas parecidas os cafetões dão a respeito de prostitutas evangélicas em geral. Eles confirmam, que as evangélicas são mais submissas e obedientes e rendem mais. E no mesmo tempo eles dizem, que as evangélicas apanham mais. Perguntados pela razão por qual eles batem tanto nas evangélicas, embora que elas tenham um desempenho melhor, 15% respondem que não sabem, 21% dizem "para que elas continuem boas", 15% falam "porque elas gostam de apanhar", 11% alegam "porque elas merecem", 9% confessam "porque dá gosto bater nelas" e 18% dizem "para elas não se sentirem melhores do que outras putas" e 14% argumentam "para elas não se sentirem melhores do que seus superiores."


Além disso, raparigas negras são ameaçadas mais por AIDS e outras doenças, já que elas começam a terem sexo e se prostituírem mais cedo, são mais exploradas, têm mais clientes e são mais vezes obrigadas para terem sexo sem camisinha, ou então topam para terem sexo sem camisinha por submissão ou para poderem ganhar um pouco melhor.
Quanto à exploração não tem pesquisas globais, mas em muitos países tem a prática, que uma puta negra recebe uma porcentagem menor. As máfias, ao que se tem conhecimento, permitem que putas brancas e asiáticas ficam com entre 15% e 20% do que o cliente paga, enquanto as negras ficam somente com 8% até 16%.
Assim elas são em tudo mais exploradas, abusadas, humilhadas e maltratadas, e nem se sabe a razão. Em um site russo cafetões responderam à resposta, porque uma prostituta negra apanha mais, recebe menos e é mal tratada: 12% optaram por “não sabe”, 8% porque elas são mais morosas e precisam de mais incentivo, 12% porque elas são menos limpinhas e precisam de mais educação, 0% porque são menos gostosas, 0% porque são menos submissas, 14% porque a pele negra incentiva a bater nela e explorar a menina, 13% escreveram que elas têm uma bunda maior e por isso apanham mais e são mais exploradas, e 41% escreveram simplesmente “porque elas são negras”.

O único país, em qual as negras recebem o mesmo do que as outras prostitutas, é a Suécia, um país com muitos meses de neve e gelo. Na Suécia é proibido pagar pelo sexo, com essa lei o cliente seria preso, e não a prostituta, se fossem flagrados fazendo programa. Por essa complicação a demanda para prostitutas caiu radicalmente, e as poucas prostitutas, que conseguem ainda viver dignamente de sua profissão, mantêm um esquema de segurança. 
Além disso, a máfia russa e algumas associações muçulmanas mantêm puteiros clandestinos com rígido controle de acesso. Nelas as meninas são exploradas à vontade, mas elas são geralmente brancas da Rússia, Bielorússia ou Ucrânia. As poucas prostitutas negras, que continuam nesse país, são uma raridade e conseguem por isso preços bons.
Putas negras evangélicas são geralmente totalmente dóceis, submissas e obedecem em tudo aos clientes e aos superiores. Mesmo assim são muitas vezes surradas, açoitadas, queimadas e torturadas de outras maneiras. Mesmo assim muitas putas evangélicas são felizes, porque a fé as ajuda, e elas trabalham com gratidão, paixão e amor.



Leia a seguir, como um site no internet ensina dar tapas na bunda de putas, e como destaca o tratamento a putas negras:

Tapas na bunda: 

Um castigo muito bom, a bunda aguenta muito e não estraga. Alguns falam, que a bunda cresce, quanto mais tratada com tapas. Se a menina não fica amarrada, o rapaz coloca os dois braços da moça em baixo de suas coxas e se senta em cima, fixando os braços. Depois ele coloca uma mão na barriga da menina e enfia o dedo médio entre as pernas, para segurar a puta e sentir, se ela molha. 
Assim ele pode tb apertar o grelinho e assim a puta levanta a bunda e deixa-a em uma posição muito boa para dar os tapas nela.As meninas se sentem geralmente revoltadas, sobretudo durante as primeiras dez tapas, e o rapaz deve segurar bem a sua puta. Depois ela começa a molhar e roça a bucetinha contra o dedo do rapaz e amolece.                         Depois de 50, 60 ou 70 tapas ela fica totalmente mansa, resignada e entregue. Essa fase continua até uns 90 ou 100 tapas, e ela começa a ficar meio tonta e nem sente mais tanto as dores, e pode desmaiar também. 
Por isso seria melhor encerrar a sessão por volta de 80 tapas e estuprar a puta com força para submetê-la. Se quiser o responsável pode continuar em outro dia com a punição.Para achar a medida certa, o rapaz deve verificar, se a puta molha. Se ela começa a molhar depois de 10 tapas, chega com 50 ou 60 tapas ao estado de se entregar totalmente ao seu algoz. Se ela molhar mais tarde, pode ser que a puta chega a essa condição só depois de 80, 90 ou mais tapas, porque o rapaz bate fraco ou a bunda da puta é mais resistente contra dores ou ela é uma menina muito teimosa e birrenta.


Segundo algumas fontes negras tendem a precisar de mais tapas. Talvez elas tenham mais carne na bunda ou sejam mais acostumadas às tapas. Na Nigéria cem tapas são consideradas um ideal para putas, ou segundo a tradição muçulmana no norte do país seriam 101 tapas. 


Se a puta, prostituta ou escrava é negra, se lembra sempre que ela precisa ser castigada com mais rigor pelas seguintes razões:



Hoje em dia choques eletricos
são um meio muito capaz na
formação de putas boas e submissas

1. Ela é mais bruta e demora mais até aprender



2. A pele e sobretudo a bunda dela é menos sensível

3. Ela é acostumada a receber tapas                                                                                                        Na média deve dar um castigo 50% maior. Por exemplo, se uma branca ganharia 60 tapas na bunda, a preta ganhará 90. Algumas negras têm uma bunda tão grossa, que sentem pouco. 
Nesse caso deve dar as tapas sempre na bucetinha, onde tb as negras são ainda bastante sensíveis e deixam logo de serem birrentas, assim que sentem as primeiras tapas fortes entre as pernas.
Embora que os cafetões comfirmem que as evangélicas obedecem melhor e rendem mais elas apanham muito na bunda, na xaninha e também no rosto e outras partes, e sofrem outras torturas.




      




Se a puta finalmente chega de joelhos pedindo por poder servir como prostituta ou pedindo por uma educação rígida que a faz totalmente submissas e lhe garante um desempenho perfeito, o processo da educação deu certo.

_____________________________________________________

Contos de prostitutas: O livro mais controverso do século 21 sem censura (E-book)

Meninas novinhas, obrigadas a se venderem, contam as coisas mais incríveis de suas vidas. Prostitutas e putas de vários países contam como foram seduzidas, exploradas, estupradas, escravizadas, abusadas e castigadas sem dó e relatam como viraram escravas e putas totalmente obedientes.
Essa coletânea publica material confidencial de meninas presas no comercio do sexo e de organizações mafiosas. Você vai ler coisas, que você jamais imaginou.
13 histórias empolgantes e emocionantes com 147 páginas e mais de 50 fotos que ilustram como meninas novinhas são sacrificadas e exploradas na prostituição.



R$ 29.90



 
Super-oferta para colaboradores: Manda a foto de uma evangélica gostosa (preferidamente nua ou com pouca roupa, com nome e se tiver também com facebook, email ou outras informações para os futuros fãs e admiradores) e recebe seu Livro totalmente de graça: Meu email: petalapa@gmail.com
(Esse email é só para mandar fotos para ganhar um livro de graça. Para outros assuntos escreve a petalap13@gmail.com  )

Leia trechos do livro em http://contosdeputas.blogspot.com.br/

Atenção: Website contrata jovens evangélicas desinibidas para webcams: